terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Idosos para as cadeias

IDOSOS PARA AS CADEIAS




Instale idosos nas prisões e os infractores em lares.



Assim, os nossos idosos têm acesso a um chuveiro, passeios,

medicamentos, exames odontológicos e médicos regulares.


Receber cadeiras de rodas, etc.


Receber o dinheiro em vez de pagar o seu alojamento.


Teria direito a vídeo vigilância contínua, que permite imediatamente

receber assistência depois de uma queda ou outra emergência.


Limpeza do quarto, pelo menos duas vezes por semana, roupas lavadas e

passadas regularmente.


Um guarda visita a cada 20 minutos e podem receber refeições

directamente no seu quarto.


Ter um lugar especial para atender a família.


Ter acesso a uma biblioteca, sala de ginástica, fisioterapia e

espiritual, bem como

a piscina e até mesmo ensino gratuito.


Pijamas, sapatos, chinelos e assistência jurídica gratuita, mediante pedido.


Quarto, casa de banho e segurança para todos, com um pátio de

exercícios, rodeado por um belo jardim.


Cada idoso teria direito a um computador, rádio, televisão.


Teria um "conselho" para ouvir denúncias e, além disso, os guardas terão um código de conduta a ser respeitado!


Politicamente é correcto dar condições de existência a todos, mesmo

aos reclusos.

O que não é admissível é a inversão dos valores em que se

assiste à defesa dos mais fortes contra o desleixo dos que não se conseguem defender, como

é o caso dos idosos e doentes.


Além do mais, é imoral que a sociedade se preocupe mais com aqueles

que a não respeitam, que a atacam a cada dia e que a subvertem.


Que tal se sentem os que passaram uma vida a trabalhar para receberem

umas migalhas em troca na sua velhice e sejam atacados directamente

por aqueles a quem têm de sustentar???



A vida não é justa... mas não é necessário exagerar ...




Bom Ano de 2011 a todos

1 comentário:

pipian handmade disse...

Encontrei este blog por acaso, mas não é por acaso que fica este comentário. Idosos, pessoas quem eu considero que são a história de cada um de nós... e das quais não sabemos tratar e dar o devido valor.
Subscrevo inteiramente esta opinião.